Jeri / Pipa


Como não tínhamos comprado a passagem de volta, estávamos decidindo o que fazer após Jeri, até que um amigo conhecido na viagem falou da Praia da Pipa, que era legal, não era tão longe, dava pra ir de ônibus e a passagem de volta Natal / São Paulo não era tão cara. Após pesquisar tudo na internet, resolvemos que poderia ser uma boa opção mesmo.
Marcamos para nossa saída o ônibus que sai as 8hs de Jeri pela Viação Redenção, esse horário, chamado de vip, é um pouco mais caro, mas não tem parada.
Nosso primeiro destino, rodoviária de Fortaleza. Chegamos lá por volta de 14hs e compramos a passagem Fortaleza/Natal, pela Viação Nordeste para as 15hs. A viagem demora nove horas e o ônibus não é nem um pouco confortável.
Chegamos à rodoviária de Natal perto da meia noite, e já não tinha mais ônibus para Pipa. O preço médio cobrado é de R$ 120,00, mas chorando um desconto você consegue por R$ 100,00.
A estrada está em obras e nosso taxista tava quase dormindo ao volante, além de estar muito devagar. Chegamos em Pipa por volta de 2hs da manhã de uma quarta para quinta, mortas.
Já tínhamos uma pousada reservada, chamada Casa Albacora, na rua Albacora, 555, cuja a dona é uma paulista muito gente boa chamada Marcia. As acomodações são simples, mas limpas e com preço muito bom.

Jeri - Pedra Furada


Da outra vez que fui a Jeri, fui até a Pedra Furada de Buguie, que não é grande vantagem, já que se anda um bom percurso do mesmo jeito. Desta vez resolvemos encarar a caminhada e ir a pé. A caminhada depende muito da maré, se estiver baixa dá para ir o percurso inteiro pela praia, se estiver alta tem que ir por cima das dunas.No horário que fomos a maré estava baixando, então tivemos que ir por cima das dunas.

Não sabíamos o melhor caminho, mas por sorte encontramos um vendedor de bebidas que foi praticamente nosso guia, ajudando a gente a chegar mais rápido.
Andar aproximadamente 3 km pela areia, num sol de 30º realmente não é fácil, a caminhada é cansativa. Quando chegamos a pedra, não havia ninguém, e podemos fotografar a pedra perfeitamente.

A natureza é mesmo caprichosa e o cenário desse lugar é um espetáculo a parte.
Ficamos pouco tempo, pois lá não há sombra, nem dá para entrar no mar. Voltamos pela praia, novamente com a ajuda do vendedor de água, que foi nos mostrando as belezas escondidas no caminho, como o poço da princesa, e um aquário natural entre as pedras na beira do mar. Pela praia a caminhada é mais suave.


É um pouco de esforço, mas quem vai a Jeri, tem que ir a Pedra Furada.


Jeri - Bar do Alexandre


Todos os dias íamos a praia de Jeri, após os passeios ou mesmo só para ler e relaxar. Desde os primeiros dias ficamos em uma barraca na praia, onde fomos muito bem tratados.

O Bar e Restaurante do Alexandre é uma barraca de praia com mesas e espreguiçadeiras. A cerveja está sempre bem gelada e é de garrafa e a comida é de muito boa qualidade, sempre fresquinha e saborosa, vale a pena almoçar por lá. Saboreie um prato com peixe ou camarão.
Os garçons são muito simpáticos, logo se tornaram nossos amigos, guardando nossa mesa preferida todos os dias.
Um lugar incrível para encontrar os amigos e tomar uma cervejinha no final da tarde vendo o sol cair no mar, o que fazíamos todas as tardes.