Colômbia - Chegando

No final do ano fizemos uma viagem para Colômbia, mais especificamente para Cartagena e San Andres. Como no último ano tínhamos passado o réveillon em São Paulo, com chuva, achamos que merecíamos um ano novo glamour no outro ano.


Saímos dia 25/12 – Natal, isso mesmo, mas a passagem era mais barata. Viajamos pela Avianca e nosso roteiro foi São Paulo/Bogotá/Cartagena, onde passamos quatro dias, um voo interno Copaair - Cartagena/San Andres e o retorno San Andres/Bogotá/São Paulo. 
Por ser alta temporada, os preços estavam bem altos. Em julho tentamos fechar um pacote, na rede Decameron, mas acreditem, todos os hotéis já estavam lotados, então fizemos a viagem por nós mesmo.
Saímos 9:45hs de SP e chegamos em Cartagena 17:30hs - a diferença de horário é 3 horas a menos na Colômbia em relação ao Brasil. Nosso Hotel - Capilla Del Mar foi reservado pelo site Decolar.com, pois estava mais barato que em outros meios, e funcionou muito bem, não tive nenhum tipo de problema.
Na Colômbia a Moeda é o peso colombiano. Levamos dólares e fizemos o cambio no aeroporto, o lugar mais barato - R$ 1,00 = 917,00 COP e U$ 1,00 = 1813,00 COP.
Pegamos um taxi e fomos direto para o Hotel. O hotel era bom, padrão grandes redes, de frente para o mar, com quartos grandes e confortáveis, no Bairro de Boca Grande, bairro mais moderno de Cartagena. O café da manhã era farto e o atendimento simpático.

Rio, cidade maravilha...

Semana passada tive a oportunidade de passar mais um final de semana no Rio. Descemos no Aeroporto do Galeão e íamos pegar um ônibus da Viação Real para Zona Sul – R$ 12,00, mas na hora um taxista nos ofereceu por R$ 15,00 por pessoa de taxi, com mais duas pessoas e topamos. Na chegada ele queria mais grana, mas não demos.
Na volta fomos de taxi até o Santos Dummund e pegamos esse mesmo ônibus para o Galeão – R$ 10,00, cerca de 30 minutos.

Dessa vez ficamos em um Hostel - OZTEL em Botafogo. Escolhi esse lugar por algumas indicações em revista, dizendo que era o melhor hostel do Rio, porém minha impressão foi um pouco diferente.
O Hostel é bem localizado, mas longe da praia, para se ir a qualquer lugar é preciso pegar ônibus ou taxi.
Fomos bem recebidos, mas como chegamos antes do check-in não pudemos ocupar o quarto, então nos trocamos no banheiro, que estava bem sujo, para poder ir a praia. Fomos tomar café antes de sair, e o café é bem básico: pão de forma, leite, café, presunto, queijo, suco artificial e algumas frutas. Na escada do refeitório havia uma barata morta.
A área comum do hostel é bonitinha, bem criativa, mas a limpeza em todas as áreas deixa a desejar.
Nosso quarto, privativo com banheiro para duas pessoas era bom – R$ 230,00 por noite - e estava limpo. Tinha ar condicionado, tv de 42 polegadas. A cama era uma delícia para dormir. O chuveiro era grande e saia bastante água. O problema desse quarto (Grafite) era que o banheiro não tinha porta, aí ficava complicado fazer o número dois.
Fomos a praia do Arpoador, mas como a maré estava bem alta não tinha faixa de areia para todos. Voltamos então um pouco e ficamos na ponta de Copacabana, perto do Forte.
O tempo estava ótimo e tomamos muito sol. Na praia conhecemos um carioca, a Ana e ficamos o dia inteiro conversando.
Aqui quero fazer um adendo: os cariocas são muito legais e adoram os paulistas e os paulistas adoram os cariocas também, essa rivalidade que a mídia espalha é ridícula.
No final da tarde saindo da praia ela nos levou em um Boteco, em Copa, daqueles que só os cariocas conhecem que tinha um pastel maravilhoso, e um nome curioso: Bar Bunda de Fora, porque todas as mesas ficam na calçada. Adoramos!
A noite fomos à Fundição Progresso pra um show chamado Samba Social Clube, que reunia vários artistas consagrados do samba. A Fundição é um galpão enorme, com capacidade para muita gente, com áreas internas e externas, bares e restaurante.  
Na área interna onde acontecem os shows é muito quente, pois não tem ar condicionado, só ventiladores com vaporizador, e sinceramente não dá conta. O show foi muito bom, mas não conseguimos ficar muito.
No domingo fomos à Santa Tereza, tomamos café num lugar gracinha chamado Cafecito, demos uma volta e fomos ao restaurante Aprazível.
Esse restaurante eu achei via internet, mas para achá-lo fisicamente foi um pouco complicado, andamos um bocado naquelas subidas e descidas. O numero no site está 62, só que na verdade é 162.
Mas chegando lá valeu a pena, o lugar é lindo, com uma vista incrível e pratos muito gostosos. O serviço também é ótimo, com garçons atenciosos. Mas como tudo que é bom tem seu preço... a conta saiu um pouco cara, mas valeu a pena.

Caraíva, sempre Caraíva...

Mais um Carnaval em Caraíva, mais um carnaval inesquecível.

A pergunta é sempre a mesma: Denovo Caraíva? Não tem outro lugar que vocês queiram conhecer no Carnaval? Mas para quem já foi alguma vez, a resposta é clara: Não!
Uma pequena vila no sul da Bahia, depois da famosa Trancoso, mas bem menos conhecida, encanta a todos que por aqui passam.
O acesso a Caraíva de avião é feito de através de Porto Seguro. De lá existe a opção de pegar um taxi (R$ 250,00) ou um ônibus em Arraial d’Ajuda, depois da Balsa.
Para maiores informações de como chegar acesse: http://www.caraiva.com.br/dicas/como-chegar/
Chegando em Nova Caraíva é preciso deixar o seu veículo em um estacionamento e pegar uma canoa para entrar na cidade (R$ 4,00) – a entrada é feita somente através do Rio Caraíva e não é permitido carros no local.
Uma boa dica é levar sua bagagem em uma mochila que dê para carregar nas costas, pois as ruas são todas de areia fofa e é impossível arrastar uma mala de rodinhas, mesmo porque você não vai precisar de muitas roupas, além de biquínis, vestidos e chinelos (só chinelos). Outra opção é pegar as carrocinhas puxadas por jegues, mas além de ser caro, acho uma judiação dos bichinhos.
Você entra em Caraíva pelo Porto Grande, que também é a rua principal, com os forrós, Bar do Porto, e alguns poucos comércios.
Pra fazer em Caraíva de dia: o roteiro é simples e diário, pela manhã, quando a maré está baixa, pegar sol na Barra e tomar banho de rio. Quando a maré começa a encher ir para a praia e se esticar no Bar Coco Brasil. No final da tarde arrume uma mesinha na sombra no Boteco do Pará, e aprecie o por-do-sol comendo um pastel de camarão delicioso.
Pra fazer em Caraíva de noite: a noite começa com o Bar do Porto, lá na temporada há show todos os dias do Grupo Caraivana, grupo de chorinho. Após o bar do porto curta um Forró no Ouriço (meu preferido) ou Pelé que revezam nas noite.
Além desses locais há festas alternativas na Cachaçaria Busca Vida e Bar Lagoa.
Abaixo: Piadina - lanche delicioso da Cachaçaria.
No Carnaval ainda existe samba no Coco Brasil e o tradicionalissimo Bloco Descarudas Ninjas, onde homens se vestem de mulheres e mulheres de homem, na segunda-feira.
Para se hospedar nada melhor do que o conforto e a localização da Pousada Casinhas da Bahia, do nosso querido amigo Edgard.
E não deixe também de conhecer a famosa Nega Maluca, doce típico de Caraíva, vendido no Canto da Duca, e preparado por ela mesma. Uma mistura de brigadeiro com banana e um creme de canela maravilhoso.
E assim a vida passa devagar... mas deliciosamente, em Caraíva.


Corumbau - Bahia

Por indicação de nosso amigo Edgard - Casinhas da Bahia, fomos conhecer Corumbau. Nosso ponto de partida foi Caraíva, em frente a Igreja, na Vila. Contratamos um buggy para 4 pessoas por R$ 130,00 - com Dimauy e Sabará (73) 9962-7146 / 9955-1522 / 9959-3378 / 9948-6431 / 9979-5391, dois nativos da Aldeia Pataxó.


O passeio é feito por terra e pela praia passando dentro da reserva indígena Pataxó. Uma parte do passeio é feito pela areia da praia, e nesse dia tivemos a sorte de avistar vários golfinhos. O trajeto demora aproximadamente 01:30hs e deixa na ponta do Corumbau. De lá faz-se uma caminhadinha de 20 minutos até chegar as barracas e restaurantes. Dependendo da maré é preciso fazer uma parte do caminho de canoa - R$ 4,00.

A praia é bem bonita e tranquila, e só tem acesso de barco, buggy ou uma estradinha de terra.
Escolhemos a Barraca e Restaurante Panela de Barro para nos instalar. Aqui é cobrada uma consumação mínima de R$ 80,00 por grupo. Almoçamos nesta barraca, comida gostosa, estilo caseira, mas aceita somente cheque e dinheiro.
A praia é bem tranquila, com águas calmas e claras, com a maré baixa é possível ver corais e andar pela ponta de areia que se forma.
Passamos o dia na praia e combinamos com o buggy de nos buscar as 16:00hs. A volta para o ponto marcado foi mais complicado, pois a maré já tinha enchido e não dava pra voltar pela praia. Viemos por uma trilha mata adentro até o ponto de pegar a canoa e atravessar.
Um lindo final de tarde e voltamos felizes por conhecer mais uma praia maravilhosa.

Praia do Espelho - Curuípe - Bahia

Há 10 anos indo pra Caraíva e nunca tinha feito um passeio até a Praia do Espelho, esse ano como estávamos em mais pessoas conseguimos acordar cedo e ir.
Considerada uma entre as 10 praias mais bonitas do Brasil essa praia fica em Coruípe, entre Trancoso e Caraíva. 
http://www.praiadoespelho.net.br/


Como estávamos passando o Carnaval em Caraíva, nosso ponto de partida foi pela Barra, passeio feito de barco, R$ 70,00 por pessoa, saída dependendo do horário da maré, o nosso saiu as 10:00hs. Fizemos o passeio com um nativo chamado Macinho, mas em todas as pousadas eles podem indicar alguém ou você contrata esse passeio na rua principal de Caraíva.
O trajeto até a Praia do Espelho demora aproximadamente uma hora, com uma parada para mergulho em um coral de recifes no meio do caminho. É possível ver peixes de todos os tipos e tamanhos.

No dia do nosso passeio o céu estava sem nenhuma nuvem e a água extremamente clara. Chegamos por volta das 11:30hs lá e escolhemos a Barraca Caribe Baiano para relaxar. A Barraca tem espreguiçadeiras e esteiras a disposição, mas cobra uma consumação mínima de R$ 80,00 por pessoa, o que não é difícil de gastar, pois as comidas e bebidas tem preços bem caros. Por ser uma praia considerada de elite, em todas as barracas os preços são altos, mas a favor o atendimento da Caribe Baiano foi ótimo, garçons atenciosos, comida gostosa e bem apresentada e bebidas geladas.
Ficamos por lá até aproximadamente 16:00hs, quando a maré estava começando a subir. Mais uma hora e estávamos de volta à Caraíva, felizes por passar um dia tão encantador e conhecer um lugar tão bonito.
Super recomendo esse passeio, só vá preparado e leve talão de cheques porque a maioria dos lugares não aceita cartão.


Carnabóia - Caraíva - Bahia

Uma das experiências mais incríveis que já vivi. Subir o Rio de boia (no meu caso colchão) com uma galera, cantando e bebendo, na maré enchendo, com um barco com banda ao vivo tocando marchinha de Carnaval. Ver um helicóptero bater a barriga na água na frente do bloco (parecia Apocalipse Now). Parar numa prainha e ver o por do sol alaranjado, pular Carnaval na areia ao som do bloco, anoitecer e descer o rio no escuro,  com a maré vazando, somente com a luz das estrelas, ver várias estrelas cadentes que formavam rastros. A sensação de não saber se estava subindo ou descendo, tendo como referencia somente a sombra do mangue. Remar e ver os plânctons brilhando, como vaga lumes na água. Tudo levava a ter medo, mas era só prazer, a água quente do rio, a galera formando um comboio pra chegar, e chegar a Vila de Caraíva as 21:30hs, todos felizes pela experiência. Não tem preço. Agradeço ao Alê por me chamar pra subir com ele e ceder um pedaço do colchão.


Sensação de plenitude e integração com a natureza, voltei sorrindo para casa.

Ilha Grande - Noite

Em Ilha Grande a noite é para ser apreciada a beira-mar, geralmente existem apresentações de cantores na praça principal em frente a igreja, onde as pessoas se concentram ao redor, em pé, nos bares, tomando cerveja e comendo peixe frito.


Para quem tem mais energia para gastar, existe uma casa noturna, chamada Espaço Ipaum Guaçú. Não posso avaliar, porque depois de um dia inteiro de passeio, a hora que deitávamos na cama não conseguíamos levantar mais, mas dizem que tem um forró divertido por lá.
É claro que no dia de vir embora o tempo abriu e saiu maior sol. Aproveitamos a manhã para dar um passeio e ficar com gostinho de quero mais.

Ilha Grande - Mais passeios

Como tínhamos somente um feriado de três dias para explorar a Ilha não tivemos a oportunidade de conhecer todos os lugares, mas isso fica para uma próxima vez.
Abaixo segue uma tabela dos passeios mais comuns.


Ilha Grande - Volta a Ilha

No segundo dia resolvemos fazer o passeio Volta a Ilha - R$ 160,00, mesmo o tempo estando nublado e chuvoso, era o único dia que tínhamos para fazer isso.

O passeio é feito em uma lancha, com capacidade de mais ou menos 10 pessoas e com motores bem potentes porque parte da navegação é em mar aberto.
Como o nome diz, o passeio faz a volta completa a Ilha. A primeira parada é no Caxadaço, uma enseada pequena com uma pedra enorme de onde a vista é maravilhosa.
Depois passa-se por Dois Rios, sem parar, e a próxima praia que descemos é Parnóica, de lá segue-se para Aventureiro, uma das mais bonitas da Ilha.
Uma observação muito importante é que nem sempre a lancha consegue parar próximo as praias, em algumas delas é preciso nadar um pouco para ir e voltar. Para aqueles que não sabem nadar isso é um problema, pois o único meio de desembarcar é por mar, segurando em um macarrão. Eu não tive problemas, mas a água estava muito gelada, congelante mesmo, tanto que poucas pessoas desceram.
Segue o passeio para Praia dos Meros, uma praia pequena, mas muito graciosa, onde é possível desembarcar próximo a areia.
As próximas paradas são Lagoa Verde e Lagoa Azul, ótimos pontos para mergulho, com muitos peixes multicoloridos. Como o tempo não estava ajudando, não vimos todas as suas belezas, mas tivemos o gostinho jogando migalhas de pão na água, que enchia de peixinhos.
A última parada foi na praia de Maguariquessaba, onde almoçamos, peixe, arroz e batata frita. Lá descansamos um pouco antes de voltar pra casa.
O passeio dura o dia inteiro e é bem cansativo. Leve água, refrigerante, cervejas e petiscos para aguentar até a hora do almoço. A lança disponibiliza gelo para as bebibas.

Na lancha conhecemos um casal de cariocas muito simpáticos e paramos para jantar numa churrascaria - Churrascaria Embaixador, prato bem servido para 4 pessoas - R$ 100,00. Comida gostosa e farta. Recomendo.

Ilha Grande - Feiticeira

A base dos passeios em Ilha Grande são os passeios náuticos. Quase todos os passeios são em escunas ou lanchas.
No primeiro dia fizemos o passeio Feiticeira - em nov/12 - R$ 60,00. Pega-se uma escuna no porto rumo a Cachoeira da Feiticeira, desce na praia e faz uma trilha de aproximadamente meia hora, chegando a cachoeira. Sinceramente, não vale a pena, a cachoeira é pequena e fica lotada de gente, não dá nem para tomar um banho. Depois navega-se até o Saco do Céu - Praia do Amor, onde é feita a parada para almoço. O almoço é basicamente arroz, salada e peixe. Você escolhe a refeição no barco, que faz o pedido a barraca conveniada e é servido na chegada a praia e paga-se a parte. O problema é que todos os barcos param ao mesmo tempo e aí é aquela muvuca.
A navegação é mais bonita e gostosa do que os lugares em si. No barco são servidas frutas como cortesia.
O passeio dura praticamente o dia todo, e quando retornamos a ilha só tivemos forças para tomar um banho, jantar e dormir.
Como dica de alimentação fica para o Pato Crepes, uma opção leve e deliciosa para a noite.

Trilhas - Ilha Grande


Mapa Vila Abraão - Ilha Grande