Piranhas - Cidade Histórica

 A cidade de Piranhas tem uma parte histórica que é muito charmosa. Com construções antigas e casinhas coloridas é uma delícia para dar uma volta a pé.



A noite a Cachaçaria Altemar Dutra é o bar mais animado da cidade, ele fica no centro histórico e tem música ao vivo, que pode ser forró, MPB, dependendo do dia que você vá.



A comida é muito gostosa, minha sugestão é pedir o escondidinho e o bolinho de charque.


O preço para quem é de São Paulo é igual aos praticados em bares da capital, não é barato, mas vale a pena.

Aproveite o final de tarde no mirante. Você consegue ir a pé (muitos degraus) ou de carro e aproveitar um lindo por do sol e uma vista aérea da cidade, com o Rio São Francisco ao fundo. Vale a pena!



Piranhas - Onde Ficar




Reservei uma pousada pelo Booking, o preço era honesto - R$ 120,00 a diária  - e era próximo do centro.
O nome da pousada é Pousada Bonita, fica no Bairro Xingó, próximo a um pequeno centro comercial.
A pousada é bem limpa e estava seguindo o protocolo certinho do Covid. 
O café da manhã é simples, mas gostoso, e é servido até as 10:00 hs.
A pousada tem piscina, mas não cheguei a usar.
Quanto ao quarto era triplo, com uma cama de casal e uma de solteiro, com banheiro interno e TV.
Para quem vai passar um ou dois dias acho uma excelente opção.
Os funcionários foram cordiais e solícitos.
O único ponto negativo é que não tem estacionamento, mas você pode parar o carro na rua em frente a pousada, que é bem tranquila.


Piranhas - AL - Como chegar

Fizemos nossa viagem de carro, saindo do Aeroporto de Maceió.
Alugamos um carro e seguimos a rota do Google Maps. 
Dica: baixe o mapa offline pois em muitos trechos a internet não funciona.
O tempo de percurso é aproximadamente 4:30 hs em rodovias cercadas por fazendas, a única cidade maior no caminho é Arapiraca, aproveite para abastecer e comer por alí. Na cidade há um shopping que é uma boa opção para almoçar, ir no banheiro, etc.
Quando falta uma hora para chegar em Piranhas a estrada começa ficar muito ruim, com buracos fundos e muitos remendos, é preciso reduzir a velocidade e ir com cuidado.

Praia do Pindobal - Alter do Chão - PA

A Praia do Pindobal fica a aproximadamente vinte minutos de carro do centro de Alter do Chão.
É possível ir de barco, mas também tem acesso de carro. Como nós acordamos tarde já não havia mais barcos no cais, então contratamos um carro para nos levar por R$ 130,00, para as três, chegamos lá por volta das 13hs, e estava bem cheio. Combinamos de nos pegas as 18 hs.

Essa praia é uma faixa grande de areia, com pequenas cabanas na beira do Rio Tapajós. Existem restaurantes na parte de trás, na chegada, que fazem o serviço de praia.
Aí você se instala em uma dessas cabanas, pede uma porção de pirarucu, um isopor com cerveja gelada e só curte. (sim, lá em todas as praias você pede cerveja e ela vem em um isopor com gelo, muito bom).

A paisagem é muito bonita e a água do rio quentinha, ideal para um dia de descanso tranquilo, uma pequena caminhada e um por do sol maravilhoso para fechar o passeio.

Vale a muito a pena conhecer essa praia, que além de ser muito bonitinha tem uma estrutura bacana para ir com amigos, famílias e crianças.











Passeios de Barco – Alter do Chão – PA


Passeios para Casa do Saulo:

A Casa do Saulo na verdade é um restaurante, de um chefe muito conceituado por lá, o Chef Saulo. Ele mora e tem um restaurante numa praia linda, de frente para o Rio Tapajós, como a casa fica no alto, a vista de lá é encantadora. O restaurante é bem aconchegante, e os pratos principais são a base de peixe.









Aliás peixe é o que não falta por lá, os mais comuns nos restaurantes são o Pirarucu, Tucunaré, Surubim e Filhote, todos deliciosos.

Fizemos esse passeio com o Jailson, filho do seu Siqueira, mas pode-se contratar qualquer barqueiro da ATUFA – Associação de Turismo Fluvial de Alter do Chão, que fica na beira do rio, perto da saída para Praia do Amor – Praça 7 de Setembro.

Neste mesmo passeio há algumas paradas, na ida paramos na praia de Ponta de Pedras, que como o nome mesmo diz, é uma praia com pedras na ponta. Lá tem estrutura com barracas e restaurantes, e dependendo do tempo de parada se consegue comer uma porção.

O Rio Tapajós é tão grande, tão grande, que às vezes agente até pensa que é mar, diz que tem trechos com mais de 20 quilômetros de extensão. As areias das praias são tão brancas, que também você acha que está na praia de mar. A única exceção é que ela é um pouco mais grossa.

De Ponta de Pedras fomos para o restaurante do Saulo, a vista de lá é simplesmente sensacional, e a comida espetacular, vale muito a experiência. Aqui ficamos cerca de duas horas para almoçar e contemplar a beleza da natureza.

Na volta paramos no Lago Negro, um lago lindo, cercado de vegetação e com águas quentes. Fiquei o tempo todo da parada dentro da água, pois é impossível sair daquela imensa banheira de águas mornas e peixes nos rondando.

A última parada foi na Ponta do Cururu para assistir o por do sol. Todos os passeios param por lá, então a areia fica bem cheia, mas nada que atrapalhe.
O pôr-do-sol daquele lugar é um dos mais lindos que já presenciei na vida, um espetáculo, aplaudido por todos no seu final.


De lá, mais ou menos 6:30hs da tarde se volta para a Vila, extasiada com o passeio e a beleza vista.

Na vila tome um sorvete de tapioca ou um suco de taperobá para refrescar e conhecer os sabores locais. E se tiver coragem coma um Tacacá nas barraquinhas da Praça 7 de Setembro, mas se prepare, pois o sabor é bem forte e o prato é quente. Tem gente que adora, mas eu provei e sinceramente não gostei. Nessas mesmas barraquinhas vende-se vatapá, que não provei, mas parecia bom, e doces regionais como recheio de cupuaçu e castanha do Pará, além dos chips de banana.

Ilha do Amor - Alter do Chão - PA

Nosso primeiro passeio foi ir conhecer a Ilha do Amor, ela fica em frente a praça central de Alter do Chão. Para chegar até lá é preciso atravessar numa jangada -R$ 5,00 a travessia por canoa e não por pessoa - paga ida e volta, portanto R$ 10,00.

Essa ilha tem esse nome porque diz que em fotos aéreas ela parece um coração.

A Ilha é uma faixa de areia entre o Rio Tapajós, nela há barracas de praia, que servem porções, refeições e bebidas.

Os preços, para nós paulistanos, até que são bem razoáveis. Pedimos uma Isca de Pirarucu - R$ 25,00 - que é bem gostosa, mas a porção não é muito grande.

Na ilha o legal é relaxar embaixo de um guarda sol a beira do Rio e quando esquentar muito entrar nas águas do Tapajós que são bem morninhas e gostosas.


Espaço Gastronômico - Borô - Alter do Chão - PA

A noite em Alter do Chão não tem muitas opções. Um espaço que está sempre aberto é o Espaço Gastronômico, mais conhecido pelos locais como Borô.

Lá, nas noites de festa, costuma ter duas bandas, uma com músicas locais, do norte e do nordeste, e outra com a música tradicional de Alter do Chão, o Carimbó.

O Carimbó é uma música regional que fala muito da cultura e do ambiente amazônico, ressaltando a natureza, os peixes, a alegria.

O Carimbó é dançado com aquelas saias rodadas, é muito bonito de ver. Mas o Carimbó é democrático e todos podem dançar, o que deixa a festa mais animada.

Lá no Borô os drinks são servidos em cuias retornáveis para preservar a natureza.

Vá um dia e se delicie com a cultura local! Vale a pena!

De vez em quando há apresentações de Carimbó na rua também, ou em frente ao Espaço Gastronômico ou na praça principal, em frente a Igreja.

Outra alternativa neste Reveillon era o Bar da Praia, onde estavam tendo festas organizadas pelo Vai Tapajós, mas esse foi um projeto especial que só funcionou na época de final de ano.