Miss Imperfeita

Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, decido o cardápio das refeições, cuido de mim mesma, sempre estou em contato com a famíia, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e mails, faço revisões no dentista, ginecologista, providencio os consertos domésticos que servem ao meu quarto e ainda cuido da arrumação e limpeza, sem contar do cabelo e pele, das inúmeras sessões de drenagem! E, entre uma coisa e outra, leio livros. Portanto, sou ocupada, mas não uma workholic. Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO. Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.


Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros..Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho. Você não é Nossa Senhora. Você é, humildemente, uma mulher.


E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo. Tempo para fazer nada. Tempo para fazer tudo. Tempo para dançar sozinha na sala. Tempo para bisbilhotar uma loja de discos. Tempo para sumir dois dias com seu amor. Três dias..Cinco dias!
Tempo para uma massagem. Tempo para ver a novela. Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário. Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto. Tempo para conhecer outras pessoas. Voltar a estudar. Para engravidar. Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.


Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir. Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal. Existir, a que será que se destina? Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.


A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem. Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si. Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo! Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.


Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.

Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores. E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante'

Martha Medeiros

Jornalista e escritora

Qual o preço de uma aventura?

Qual o preço de uma loucura? Uma coisa que você faz seguindo seu coração, sem a menor certeza que vá dar certo?
A adrenalina sobe e você faz escolhas por impulso, pensando somente na emoção, sem ouvir a razão.
Eu fiz uma escolha dessas, e ainda não sei qual será o resultado, mas sempre acho que tentar vale a pena.  Não vou me arrepender depois de coisas que não fiz, prefiro a incerteza do sucesso de que a certeza do fracasso.
Não sei como vai ser o amanhã, a vida é o aqui, tem que ser agora.
Aproveite as oportunidades e viva tudo o que puder viver.
No mínimo no futuro você vai ter uma boa história pra contar.

Itacaré 2010

Como já fui muitas vezes a Itacaré, dessa vez não tenho muito a acrescentar, mas gostaria de indicar uma pousada bacana que ficamos dessa vez.

A Pousada chama Casa da Praia, fica na Concha, saindo da Pituba, do lado da Ecoporan.
O lugar é muito charmoso e seus proprietários muito simpáticos – Marcos e Silvia. 

São flats completos, com cozinha, equipamentos, TV e ventilador, tudo para se sentir como se estivesse em casa mesmo. Tem um lindo jardim na frente, onde pássaros e micos vem se alimentar. A pousada oferece internet wireless para seus hospedes, o que é super útil em dias de chuva.
O preço é super honesto. Recomendo!


Limites

“Ser o melhor significa ultrapassar nossos limites.
Li essa frase um dia desses e parei para pensar no seu significado.
Às vezes achamos que não somos capazes, ou nos sentimos um pouco incompetente, na nossa vida, no nosso trabalho, no amor, etc.
Porém essa infelicidade interna vem de agente comparar nossas conquistas as de outras pessoas, de nossos amigos, nossos parentes, colegas de trabalho.
O que temos que perceber é que se conseguimos ultrapassar os nossos próprios limites, já somos vencedores. 
Cada pessoa tem uma trajetória e uma história de vida, que é unicamente dela, com caminhos e escolhas feitas ao longo do tempo. Ao olhar para traz, temos que enxergar que dentro do que nos foi oferecido e dos caminhos que escolhemos, se conseguimos conquistar nossos objetivos, vencemos.



Motive-se

Fiz  um curso online esses dias sobre Gestão de Pessoas. Nele fala-se muito de motivação.
Uma coisa me chamou atenção, as pessoas em geral acham que a motivação é um fator externo, mas ao contrario do que se pensa, motivação é unicamente interno.
Ninguém pode motivar você a fazer alguma coisa, você tem que ter isso dentro de você, uma vontade, uma força que te impulsiona para determinada ação.
Isso vale uma reflexão: pare de reclamar que uma situação, uma coisa ou uma pessoa te desmotiva, pois isso são fatores externos,  e comece a se motivar para aquilo que você realmente deseja.
Motive-se a fazer um curso, ler um livro, mudar de profissão, trocar de casa. Faça coisas que você realmente deseja e verá como é estar motivado.


Y Surf


A ACM São Paulo oferece o programa YSurf e ensina crianças, jovens e adultos a surfar com confiança, garantindo grandes aventuras nas ondas.

Quer aprender a surfar com segurança e diversão? Na ACM você aprende e ainda se diverte com o programa YSurf, que é ideal para quem quer ganhar intimidade com as pranchas e se aventurar nas praias. As aulas acontecem nas piscinas da Instituição e também no mar. É um curso para quem se interessa pelo surfe, mas não tem nenhuma intimidade com a modalidade e pretende encarar o mar com mais conhecimento sobre o esporte. Os alunos são acompanhados por instrutores, praticantes do esporte e com formação em Educação Física, e por salva-vidas.

O primeiro dia é reservado para noções básicas, teóricas e práticas, em aulas na piscina da unidade Centro da ACM São Paulo. Após a primeira fase, a turma parte para o passo seguinte, já no mar.
O curso não é restrito a associados e podem participar homens, mulheres e crianças com idade superior a sete anos. Para os menores, entre sete e 15 anos, é necessário o acompanhamento de um responsável.
O valor do programa dá direito a transporte, hospedagem em pousada, pensão completa, aulas, instruções e equipamento.
O YSurf é uma atividade que promove exercícios cardiovasculares, aeróbios, de equilíbrio, resistência muscular localizada e também estimula a sociabilização por ser uma atividade muito divertida.

Eu participei desse e foi muito legal.

O próximo será em setembro.

Fiquem de olho!

www.acmsaopaulo.org


Caraíva - Impressões


Como já escrevi algumas vezes sobre aspectos práticos de Caraíva, dessa vez vou escrever sobre minhas impressões.

Caraíva é um paraíso parado no tempo, um lugar que resiste a passagem dos anos com o mesmo charme de antigamente. O progresso chegou (luz), mas não mudou muita coisa. As ruas continuam escuras, o céu o mais estrelado que eu já vi, os restaurantes são os mesmo, as pousadas se recusam a colocar uma TV em casa quarto. Todo esforço é feito para proteger e preservar.

A vida em Caraíva tem um ritmo particular, lento, preguiçoso. Vida de Caraíva (para turistas) é acordar, caminhar até a barra, tomar um banho de rio, deitar em baixo de uma barraca, tomar uma água de côco, comer um acarajé da tia Isabel. A tarde caminha-se até a praia, estende-se a canga em frente à Barraca do Côco, ouve um sambinha ao vivo de primeira qualidade.

Quando o sol começa a cair, dirige-se ao Boteco do Pará para comer um pastel de camarão, tomar uma cerveja e ver o pôr-do-sol. Depois um soninho para descasar e se preparar para o forró. A meia-noite é hora de acordar e sair pro Forró, encontrar os amigos, beber uma catuaba e dançar até amanhecer. Após o Forró, depois de ter gasto muita energia é hora de uma parada na padaria, para o último drinque ou café-da-manhã, vendo mais um dia esplendoroso amanhecer. E assim são todos os dias, mágicos.

Vida em Caraíva é uma grande comunidade, como é uma vila muito pequena, após alguns dias todas as pessoas se conhecem e se encontram nos mesmo lugares, conversam riem, partilham. E ano após anos, encontra-se sempre os mesmos amigos, com muito prazer.

Quem vai a Caraíva uma vez, sempre volta. Eu pelo menos, todos os anos, no Carnaval ;)


Yoga


Yoga é uma disciplina que constrói uma relação entre a mente e o corpo do praticante de modo a proporcionar a ele a habilidade de manter sua atenção bastante concentrada e o seu corpo bem disposto e vitalizado.

A maneira de conseguir esses resultados pode variar bastante, mas o princípio é sempre o mesmo, ou seja, o de explorar recursos inatos que permitem ao praticante viver melhor e de forma mais produtiva. A força para alcançar esse resultado vem de dentro do próprio praticante. O Yoga é um sistema que busca dentro de cada praticante os recursos necessários para o sucesso de sua prática. Na verdade o mais poderoso recurso de que dispomos para realizar o Yoga é a nossa autenticidade.

Fonte: Carlos Eduardo G. Barbosa (Professor de Sanscrito)


Pipa - Noite


Em Pipa há muitas diversões noturnas, para todos os gostos, desde baladas típicas de cidades litorâneas até noites com muita musica eletrônica, típica de grandes cidades.

Na rua principal, a Av. Baía dos Golfinhos, encontram-se alguns bares onde a galera se encontra para fazer a pré-balada, mais conhecido como esquenta. O mais famoso é o Tribus, com musica alta na parte interna, virando uma mini-danceteria.

Existe também um bar em frente à praia, com garçons argentinos, que toca reggae latinho, muito engraçado.

A boate mais famosa é a Calangos, que aos sábados toca musica eletrônica e aos domingos forró ao vivo, com bandas locais. Para quem é acostumado com o forró pé-de-serra do sudeste, não é igual. O forró de lá tem sempre aquele toque eletrônico do teclado e a dança é diferente.

As noites de Pipa são muito divertidas, para quem gosta de praia com vida noturna é uma ótima opção.

Tivemos a sorte de ir em outubro, que acontece o festival Gastronômico de Pipa. Durante o festival há escola de culinária e bandas ao vivo todos os dias na Praça do Pescador. No dia da final, a cidade ficou incrível, com shows e diversas manifestações artísticas populares.


Pipa - Praias


Pipa tem algumas praias próximas ao centro, que dá para ir a pé. Existe a praia de Pipa, que é a central, pequena e com muitas barracas, típica daquelas excursões. Andando um pouco a sua direita, você chega a Praia do Amor, uma praia bem mais tranqüila e bonita. Ela fica próxima a falésias, o mar é agitado e bom para a prática de surf.

Mas a praia mais linda em minha opinião é a Praia do Madeiro, foi indicada por um nativo, que dá aula de surf lá – o Gil, gente boa, para quem quiser aprender eu recomendo. A praia fica um pouco afastada da cidade, mas existem vans que levam até o local por preço de ônibus. Na entrada dela há uma imensa escadaria de madeira, e a vista de cima é maravilhosa. De areia branca e mar de águas cristalinas e mornas, é fácil ver golfinhos por ali.

Na maré baixa é possível percorrer toda a costa de pipa a pé, mas sempre tomando cuidado com a hora de encher, senão você não consegue voltar. Pegue uma tábua de marés no balcão de informações turísticas – fica dentro de uma galeria, na rua principal – para saber, em cada época é um horário diferente.